financiamento coletivo

Nosso saldo atual é de:
R$

-996,13

* Quando o saldo está negativo, significa que os gastos foram custeados pelas pessoas que coordenam os projetos. O recebimento de contribuições servirá para ressarcir essas pessoas.

para contribuir com qualquer valor, clique no link abaixo

O recebimento das contribuições é feito por meio do PagSeguro

o mutabis é mantido por financiamento coletivo e todo o dinheiro arrecadado é destinado aos custos operacionais

Tudo o que envolve trabalho direto e implicaria a contratação de pessoas, temos sido capazes de fazer por nós mesmos. Desse modo, fazemos por nós mesmos desde a gerência de nossas redes sociais, até o design do nosso site. Assim, esse trabalho é fruto direto de nosso desejo de manter o Mutabis existindo e ninguém obtém lucro disso.

Ainda assim, para manter o Mutabis funcionando há alguns custos operacionais dos quais não conseguimos nos esquivar. Eles são poucos e simples, como o pagamento da anuidade da plataforma do site e do domínio, até a compra de cadeiras para os Estudos na Praça. Para isso nós gostaríamos de contar com a ajuda de nossa comunidade, caso contrário estaríamos onerando quem está trabalhando mais diretamente na coordenação dos projetos.

Nossos gastos anuais giram em torno de R$500 se não houver necessidade de compra de novas cadeiras. Nesse caso o gasto dobra ou triplica a depender do número de cadeiras, por exemplo.

Neste espaço do nosso site você encontrará sempre o saldo de nosso caixa. Lembrando sempre que nenhuma arrecadação será destinada a qualquer lucro. Ninguém é remunerado por sua atuação em qualquer dos nossos projetos, sendo esse trabalho fruto do desejo de fazer esse espaço existir. É importante deixar claro também que não se trata de filantropia ou caridade. Como todos os coletivos de psicanálise de borda, quando estamos realizando uma leitura compartilhada, ou nos colocando a escutar o sofrimento de alguém em contextos clínicos, ou envolvidos com projetos de supervisão, recebemos tanto quanto damos ou mais. É sempre um espaço de troca, mas uma troca não mediada pelo dinheiro.

 

O dinheiro aqui nos serve apenas para nos sustentarmos num contexto maior que exige a troca monetária. E se um dia chegarmos a ter qualquer excedente considerável, será sempre o caso de convocar discussões em nossos espaços para levantar propostas de novos projetos onde possamos utilizar esse excedente. A aposta do Mutabis envolve não ceder à lógica da monetização e, nesse caminho, experimentar novas formas de troca no contexto da formação psicanalítica.